INFOMAPA – 1° turno em sc

O mapa ao lado mostra a diferença de votos entre Bolsonaro e Lula no primeiro turno das eleições presidenciais em Santa Catarina. É possível perceber que a vantagem do presidente no estado está concentrada na região litorânea, onde se concentram os municípios com maior colégio eleitoral.

No total, Bolsonaro obteve um percentual de 31,5% de votos válidos a mais do que Lula. Em relação ao total de eleitores, o presidente candidato à reeleição chegou a 49% do potencial de votos.

A polarização do eleitorado em Santa Catarina ficou evidente nos percentuais obtidos pelos demais candidatos à presidência da República, contando também os votos brancos e nulos: 9,4%.

As abstenções chegaram a 18,3%, dois pontos percentuais a menos do que registrado nas eleições de 2018. Para conhecer a diferença percentual de votos entre os dois candidatos que foram ao segundo turno em cada município, basta passar o mouse sobre o mapa.

Criado com o Padlet
 

 

Criado com o Padlet

Reconhecer informações falsas não nos impede de espalhar o que dizem

Disseminar informações falsas pode ter relação com a falta de conhecimento sobre os recursos disponíveis para verificação dos fatos. Dois estudos sugerem que, sem analisar a procedência das informações, tendemos a espalhar o que dizem. Principalmente quando cabem em nossas crenças .

Censurar e descredibilizar motivam violência contra a imprensa

Formas de censura e descredibilização da imprensa são quase dois terços dos casos de violência contra jornalistas e contra a liberdade de imprensa no Brasil, de acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas. Foram 271 casos dos 430 registrados pela entidade em 2021.

Vacina para todos é a chave no combate a variantes de Covid-19

A negligência na distribuição de vacina em regiões mais pobres é apontada como causa para o surgimento de novas variantes de Covid-19. A Ômicron ganhou notoriedade mundial pela preocupação com seus efeitos na pandemia, mas é preciso reconhecer que ela é fruto do descaso político com a imunização igualitária para se evitar novas mutações do coronavírus.

Entre versos e assobios, a entrevista com o poeta Zininho

Os assobios de inspiração e os rabiscos no guardanapo fluiam em meio a uma conversa longa, de perguntas singelas e respostas difíceis. Zininho vivia em Sambaqui, imerso em 40 anos de memória sonora de Florianópolis. Interrompeu o trabalho para conversar com os repórteres mirins do jornal PalavraMundo.

Nas tintas do jornal, a versão viva de um pequeno arqueólogo

Nos revezávamos para fazer a “prensa” funcionar. Nela havia espaço para uma pessoa e uma pilha de jornais. Quando a criançada apertava o “botão mágico”, fazíamos a “prensa” sacodir até “cospir” um exemplar de estreia do jornal. Reinaldo se materializava no meio da criançada, como que alçado das páginas centrais que contavam sua história.

O jornalismo precisa voltar a mediar o debate público

Notícia não é mais encarada como o elo entre conhecimento social e opinião pública. Virou mais um discurso vazio na pulverizada rede digital de crenças ideológicas. Faltam sinalizações na encruzilhada, aquele momento em que os argumentos nos dão um sentido de direção, nos impulsionam em um determinado caminho. Falta o jornalismo no debate público, o que nos aproxima das diferenças sem julgamentos morais.

Lula e Alckmin vão entrar em uma cruzada contra o “mito”?

Lula e Alckmin na mesma chapa à presidência da República sinalizam uma articulação política ampla contra a autocracia indigesta do governo Bolsonaro. Tanto quanto a ideia de que o sistema está se organizando para inviabilizar o “mito”, numa cruzada de poderosos contra um “justiceiro solitário”. O momento pede discernimento quanto à forma de lidar com o adversário a ser derrotado.

Jair Bolsonaro é hoje o “calhau” da grande imprensa brasileira

O presidente da República sempre foi tratado pela imprensa como “polêmico”. E não é nada disso. As coisas que ele diz, como se liberdade de expressão e de pensamento fossem a mesma coisa, merecem repúdio. Porque são autoritárias, agressivas, depreciativas para o cargo público de onde fala. É preciso dar a Bolsonaro o espaço que ele merece