INFOMAPA – O voto em SC

De acordo com os dados fornecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral, em julho deste ano, 43 municípios catarinenses têm mais eleitores do que habitantes. As explicações para isso vão desde o atraso no Censo Demográfico à possibilidade de o eleitor morar em um município e votar em outro.

Os dados usados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística para estimar a população na falta do Censo são aferidos por amostragem. Os do Tribunal Superior Eleitoral são absolutos, no sentido de cobrir toda a população apta a votar.

Santa Catarina tem 5.489.630 aptos a exercer o direito do voto em 2022. Obrigados a votar são 4.922.762 (90%). Os facultativos (eleitores entre 16 e 18 anos, acima de 70 anos e os analfabetos) são 566.868. 

No mapa ao lado, se pode ver o número de eleitores por município. Basta passar o mouse sobre a figura para se obter os dados de cada localidade ou sobre os dados da legenda para verificar a distribuição dos municípios por faixa de eleitores.

Criado com o Padlet
 

 

Criado com o Padlet

Reconhecer informações falsas não nos impede de espalhar o que dizem

Disseminar informações falsas pode ter relação com a falta de conhecimento sobre os recursos disponíveis para verificação dos fatos. Dois estudos sugerem que, sem analisar a procedência das informações, tendemos a espalhar o que dizem. Principalmente quando cabem em nossas crenças .

Censurar e descredibilizar motivam violência contra a imprensa

Formas de censura e descredibilização da imprensa são quase dois terços dos casos de violência contra jornalistas e contra a liberdade de imprensa no Brasil, de acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas. Foram 271 casos dos 430 registrados pela entidade em 2021.

Vacina para todos é a chave no combate a variantes de Covid-19

A negligência na distribuição de vacina em regiões mais pobres é apontada como causa para o surgimento de novas variantes de Covid-19. A Ômicron ganhou notoriedade mundial pela preocupação com seus efeitos na pandemia, mas é preciso reconhecer que ela é fruto do descaso político com a imunização igualitária para se evitar novas mutações do coronavírus.

Entre versos e assobios, a entrevista com o poeta Zininho

Os assobios de inspiração e os rabiscos no guardanapo fluiam em meio a uma conversa longa, de perguntas singelas e respostas difíceis. Zininho vivia em Sambaqui, imerso em 40 anos de memória sonora de Florianópolis. Interrompeu o trabalho para conversar com os repórteres mirins do jornal PalavraMundo.

Nas tintas do jornal, a versão viva de um pequeno arqueólogo

Nos revezávamos para fazer a “prensa” funcionar. Nela havia espaço para uma pessoa e uma pilha de jornais. Quando a criançada apertava o “botão mágico”, fazíamos a “prensa” sacodir até “cospir” um exemplar de estreia do jornal. Reinaldo se materializava no meio da criançada, como que alçado das páginas centrais que contavam sua história.

Lula e Alckmin vão entrar em uma cruzada contra o “mito”?

Lula e Alckmin na mesma chapa à presidência da República sinalizam uma articulação política ampla contra a autocracia indigesta do governo Bolsonaro. Tanto quanto a ideia de que o sistema está se organizando para inviabilizar o “mito”, numa cruzada de poderosos contra um “justiceiro solitário”. O momento pede discernimento quanto à forma de lidar com o adversário a ser derrotado.

Jair Bolsonaro é hoje o “calhau” da grande imprensa brasileira

O presidente da República sempre foi tratado pela imprensa como “polêmico”. E não é nada disso. As coisas que ele diz, como se liberdade de expressão e de pensamento fossem a mesma coisa, merecem repúdio. Porque são autoritárias, agressivas, depreciativas para o cargo público de onde fala. É preciso dar a Bolsonaro o espaço que ele merece

Morte política autoinfligida ou prisão no próprio calvário, as opções de Bolsonaro

Bolsonaro age contra ele mesmo. As instituições, agora, só têm de confirmar o posicionamento que a Constituição lhes confere. Basta marcar posição no lugar em que estão, sem necessidade de movimentos de resistência em contraposição ao suicídio político do presidente.