ENTRELINHAS

Ao abrir consulta pública para “informar e conhecer as dúvidas” das famílias sobre a vacinação contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos, o governo brasileiro segue a estratégia de minar as evidências científicas para se evitar a expansão da variante Ômicron. Não há como se ter dúvidas quanto à eficácia das vacinas, a não ser que se desconsidere o volume de investimentos e o esforço em pesquisa sem precedentes na história humana.

Universidade “útil” e “para poucos” expressa a ineficiência de gestão e o desmonte do sistema público na Educação. Enquanto estados e municípios buscam seus próprios recursos para superar o déficit de aprendizagem causado pela pandemia, as universidades públicas, líderes na inovação tecnológica, lutam contra a negligência do governo.

Os avanços para alcançar populações excluídas trataram de permitir o acesso, sem a promoção efetiva e equitativa da qualidade nos processos de aprendizagem na educação básica. Crianças e jovens espalhados pelas periferias do cenário da educação brasileira estão distantes de reconhecer possibilidades quanto ao próprio futuro porque a escola não vai até eles.

pile of covered books

O novo normal pós-pandêmico na educação tende a ser híbrido e ainda mais digital; tende a ser robotizado e ainda mais autônomo na condução da aprendizagem; tende a ser exponencialmente escalável e capilarizado; tende a oferecer “mais por menos”, com a promessa de que os novos mestres nunca dormem. O híbrido nesse novo normal tende a ser um simbionte.

frame, back to school, school

Quando pais e familiares posicionam-se diante da direção da escola como quem pensa a educação pelo consumo para relativizar medidas de saúde pública, o problema não está na instituição de ensino que obedece as medidas sanitárias para manter suas atividades. O sintoma é mais grave. A sociedade está dando um sinal de que, por mais cuidados que se tome no ambiente escolar, os riscos potenciais estão do lado de fora.

right, wing, conservative

Jornalistas e veículos de comunicação independentes vêm sofrendo com o aumento de violência deliberada à liberdade de expressão e de imprensa. Mas as gigantes da tecnologia, donas das informações que espontaneamente compartilhamos, parecem estar no controle do que pode ou não ser disseminado sem o necessário debate sobre a jurisprudência de suas decisões.