#jornalismo

Nos revezávamos para fazer a “prensa” funcionar. Nela havia espaço para uma pessoa e uma pilha de jornais. Quando a criançada apertava o “botão mágico”, fazíamos a “prensa” sacodir até “cospir” um exemplar de estreia do jornal. Reinaldo se materializava no meio da criançada, como que alçado das páginas centrais que contavam sua história.

O presidente da República sempre foi tratado pela imprensa como “polêmico”. E não é nada disso. As coisas que ele diz, como se liberdade de expressão e de pensamento fossem a mesma coisa, merecem repúdio. Porque são autoritárias, agressivas, depreciativas para o cargo público de onde fala. É preciso dar a Bolsonaro o espaço que ele merece

right, wing, conservative

Jornalistas e veículos de comunicação independentes vêm sofrendo com o aumento de violência deliberada à liberdade de expressão e de imprensa. Mas as gigantes da tecnologia, donas das informações que espontaneamente compartilhamos, parecem estar no controle do que pode ou não ser disseminado sem o necessário debate sobre a jurisprudência de suas decisões.

Quando todos os críticos ao governo são “maus brasileiros” e a imprensa é “mentirosa” porque expõe fatos contra a desinformação oficial, não há caminho para o contraditório. As frequentes ameaças a jornalistas, no estilo truculento de ditadores, só reforça o cenário autoritário em que os governos autocratas, como os de Bolsonaro, enfiaram a política.